(m: Não te entendi…!)
W: entendeste sim…não queres é engolir.
m: ohh, digo que não entendi e…
W: basta!! entendeste sim, sê homem sff! E peço com delicadeza pois não estás só neste mundo.
m: sabes lá tu quem eu sou.
W: eu sou ‘tu’ sendo ‘eu’.
m: parábolas, para quê? para ficar mais confuso?
W: bem bem, sou alguém que quer que renoves a tua cabecinha…e ainda estás no tempo de renovar…pois virá o tempo de mudar, como quem dá uma cambalhota, é isto que queres, dar uma cambalhota que faz doer?
m: …
W: Estás simplesmente perdido e insistes ficar na perdição.
m: …
W: Estar sempre à espera de algo, de alguém, de um toque, mexe o rabo!
m: …
W: não falas porque sabes que estou a argumentar correctamente. 
m: estou a ouvir-te com atenção, continua…
W: continuo enquanto posso, porque depois estarás sem ninguém, abandonado.
m: o que devo fazer?
W: não me venhas com esse truques de vitimização…saber ou não fazer, eis a questão…mas sempre fazer…com luta.
m: que achas de mim?
W: caro não sou paciente em certas coisas…e esta é uma delas! Estar a repetir sempre o mesmo como se andar à volta de uma rotunda perdidamente não sou desse tipo. 
m: parece que conheces-me mais do que eu próprio.
W: eu não te conheço tão bem como deves estar a imaginar, apenas vejo claramente que és um sedentário do caraças!
m: porque dizes isso?
W: olha-te ao espelho e virás…e não te armes em ceguinho…pois sabes bem o que está à tua frente…!
m: …
W: …
m: …
W: …
m: Não falas mais?
W: Por hoje chega, talvez volte a falar quando vir uma “action” da tua parte.
m: Como assim?
W: sem comentários!
m: olhar-me ao espelho?
W: ouves mal eu sei, apesar de não ser desculpa nenhuma, mas lês bem, muito bem…!
m: apenas referia-me ao espelho…
W: refere-te ao que quiseres…hoje tudo foi dito, já dei várias voltas à rotunda, mas não andarei mais. Agora quando te vir noutra rotunda, noutros ares, falarei mais contigo. Aqui ficas sozinho. Gostas de rotina? Adoras andar aos circulos…mas eu não, detesto! Ficas já avisado, podes vir com os discursos que quiseres, molinhos, bem feitos,…só falo contigo noutra paragem!
m: mas não eras tu que dizias que eu era um ser influenciável?
W: sem comentários e xau.
m: mas…?
W: xau.
m: deixas-me pendurado?
W: …
m: Wallace??