Religião fundada em 528 A.C. por Gautama Siddhartha, o ‘Buda’, baseada em vários tópicos.
Alguns deles têm sentido e muito bem elaborados com base, certamente, na experiência humana. Tal religião tem ganho muitos adeptos, pela sua postura de paz interior. Tenho de admitir que tenho um certo fascínio pelo Budismo. Tenho o sonho de conhecer Tibete, os monges e suas gentes…! Vejamos algumas características do Budismo:

  • toda a vida é sofrimento;
    Não creio que a vida seja toda sofrimento, existem momentos de alegria, ou será que alegria em si é um “sofrimento”?
  • a causa do sofrimento é o desejo;
    Eu sofro porque desejei algo? Se desejar ganhar o euromilhões e tiver a tal sorte vou sofrer? Sofrerei por ter tido sorte?
  • o fim do sofrimento vem com ‘nirvana’ (o estado final de conhecimento e felicidade completos);
    Nirvana, ou felicidade pura é um acontecimento justo, pois depois da tempestade existe o mérito da justiça.
  • ‘nirvana’ é conseguido pelo seguimento de oito princípios.
    Não sei todos, mas estou de acordo quando o Budismo considera a raiva, ignorância e auto-apego venenos da alma humana. Devemos, sem dúvida, combater estes males! Mas não é falando e escrevendo como faço agora, mas sim fazer sendo!