Que ricas palavras, que ricos conceitos, que rica ‘luta’!
Mas afinal o que é o Amor? E o que significa? E para que serve? Como é consituído?
Será o Amor o mesmo que temos com o nossos pais como temos com a nossa namorada e/ou esposa?
Será o Amor “o cheirar” uma lindissima rosa num rebento de uma manhã de primavera?
Será Amor um abraço sentido a um tronco de uma árvore?
Será o Amor uma loucura? Será temporário? Será que dura? E se dura, pq dura? E se não dura, pq n dura? Será que o Amor é algo dado sem exigência de uma troca?
E a Paixão? O que é? Para que serve? Será um Amor “verdinho”? Será o “fast love”?
Será o Amor camuflado? O amor curto?
E a Felicidade? O que é? Será a soma dos anteriores conceitos? Será a porta da Perfeição?

Ai, ai…
São estes (tipo) conceitos que trituram como vidros afiados a minha alma, a minha mente … Mas porquê? Simples! Porque a procura de respostas é como um atónito para a conquista da paz no turbilhão de palavras e ideias que rodam na minha mente.

P.S. Tal post surge na sequência de um comentário do post anterior do intitulado Luís Fontes.